quarta-feira, janeiro 04, 2006

Amigo(s)

Costuma dizer-se que os amigos são para as ocasiões. Mas todos nós sabemos que nem sempre os factos confirmam a proverbial referência. Às vezes os amigos podem não estar disponíveis, podem não compreender até onde vai a nossa real expectativa de auxílio, podem pensar que isto de ser amigo não quer dizer correr para o nosso lado logo que sussurramos qualquer pequena tragédia, podem ainda acreditar que é melhor que cada um lamba as suas feridas na intimidade da sua solidão; ou até achar que não há disponibilidade fora do horário convencional, quando se tem mais que fazer do que aturar os outros e, depois, há limites para tudo.
Depois há os falsos amigos, muita conversa e nenhuma autenticidade, muita curiosidade mórbida, muita inveja e, por detrás de tudo isto, muita vida sem sentido. Destes não há nada a esperar, só a distância que purifica o ambiente. E desejar-lhes uma vida preenchida para que possamos deixar de ser politicamente correctos.
Mas, quando temos um amigo que pode estar muito longe, pode passar anos sem nos ver, pode ser profissionalmente muito ocupado e responsável, mas que atende sempre o telefone quando a vida parece ter desmoronado sobre nós, quando pensamos que ninguém se importa connosco, quando tudo é negro e triste, quando as incertezas e dúvidas nos assaltam, temos que reconhecer que somos, afinal, pessoas de sorte.
E quando nos encontramos, abrimos o coração sem pudor, colocamos as mãos sobre a mesa, sabemos que outras mãos tocarão as nossas, que um abraço secará as nossas lágrimas, que alguém reflectirá connosco sobre o nosso “ terrível” problema. E, quando nos dizem: “ Pareces mais criança do que a tua própria filha!...”, o sorriso reacende-se no nosso rosto. O mimo de que precisávamos inunda-nos e o mau tempo já lá vai.
Deus te proteja amigo! Estamos mais velhos, talvez tu estejas mais sábio, quanto a mim duvido. Mas, mais uma vez, foi bom rever-te, repousar o olhar no teu rosto de barba já toda branca!

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

That's a great story. Waiting for more. » »

7:38 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home